21 abril 2003

QUASE CARANDIRU

Eu tinha lindo comentários nada abonadores a respeito de Carandiru. Apesar de escrever resenhas críticas de cinema por aí, eu, na realidade, não confio muito nelas porque na maioria das vezes se esconde uma boa porção da condição pessoal da pessoa que está analisando o filme, mais seus gostos e preferências, seus modismos e tendências que são claramente expressos na crítica. Prefiro conferir in loco o filme, e ter a minha própria impressão final. Se se confirmar o que a maioria das críticas descreveu, não vou ficar triste - eu quis conferir por conta própria e, portanto, estava correndo meu próprio risco. Às vezes tenho gratas surpresas, o que é bem difícil, para falar a verdade. Eu fui assistir Carandiru neste domingo. Na última hora, acho que me lembrei dos comentários do Paulo Polzonoff e acabei, temerosamente, e contrariando meus princípios, recuando. Decidi assistir O Apanhador de Sonhos. Meu Deus! Mesmo com todas as críticas negativas sobre Carandiru, eu deveria tê-lo assistido. Ou qualquer coisa que não fosse este Apanhador. Eu, que achaba muuuito difícil algum filme ser pior do que Olhos Famintos, consegui, com folga, um que se superou, e que ainda traz de bônus atores relativamente bem conceituados e um considerado fodão: Morgan Freeman. Difícil entender como se produzem coisas assim, muito difícil.