20 junho 2003

Aqui na FIRMA, a esta hora, noite de sexta-feira, a internet de banda larga, que já é naturalmente rápida, fica impressionante de tão veloz. Já é hora de ir-me, por que o dia foi definitivamente punk e é profundamente foda quando não se consegue terminar todas as coisas programadas. Agora é sofrer mais um pouco em casa, ainda dominado por esta net dos infernos e aguardar que o RESTO de fim de semana seja um pouco mais ameno que esta semana [glória ao pequeno intervalo de quinta-feira: país maravilhoso com seus fartos feriados católicos...]. Só para manter o hábito de ser o último a ver tudo, vou dar uma conferida nesta finaleira de semana no tão comentado O Homem que Copiava e no... sim, Matrix Reloaded, que, não, ainda não assisti.[A propósito: eu imagino o que está tendo de acesso este site de produtinhos capilares com um nome muiiito propício ao momento, que outros jaguaras como eu devem ter acessado pensando se tratar de ouuutra coisa...] Haverá a tentativa de dar uma passada lá no Gasômetro, reduto delícia desta Porto Alegre mui amada para conferir os desenhos do Salão de Imprensa e lá no MARGS, porque tem exposição do senhor Eduardo Vieira da Cunha. O resto é o resto porque o domingo ainda é um dia de longo trabalho.