29 agosto 2003

DONNIE DARKO

Noites de sexta-feira, com uma internet de alta conexão são propícias para uma série de coisas. Entre elas, procurar pela rede por coisicas que você tinha deixado para trás na sua lista de "troços interessantes para assistir" ou ler, ou qualquer outra ação semelhante que queiras fazer. Passando por coisas para ler, entre outras, e, lembrando-me dos filmes que quero ver e ainda não tive oportunidade, ou por que ainda não estreou por aqui, ou porque nem vai estrear, fiz as buscas do já comentado pelo qual sigo na expectativa Amarelo Manga. Pois bem, enquanto este não vem, vou à cata de outro que sei que não virá para o cinema, já que tá rolando até em DVD e vou tentar catar pelas locadoras por aí.

Trata-se de Donnie Darko e, após muitas procuras [já que não lembrava seu nome, apenas sabia que tinha alguma coisa envolvendo um coelho gigante - daí as buscas pela web por "bunny"] consegui chegar ao seu sítio para ter maiores detalhes sobre a pequena pérola. Saca só: Donnie Darko é um sujeito esquizofrênico que conversa com Frank, seu amigo imaginário que, na verdade, é um coelho gigante de 1,80 m. Deu para sentir o clima, não? O lance é que o personagem principal - Donnie - é interpretado pelo ótimo Jake Gyllenhaall, que, quando assisti a Vida que Segue [Moonlight Mile, 2002], drama bacana com Dustin Hoffman e Susan Sarandon, achei tratar-se de Tobey Maguire [vai dizer que os pinta não são tri parecidos?]

Mutcho louco, né? O diretor é Richard Kelly, e este parece que é seu filme de estréia. Quem se interessou pela história do cara foi Drew Barrymore, que resolveu bancar o projeto com sua produtora, a Flowers Films, que produziu também a continuação d'As Panteras. A guria curtiu tanto a trama que envolve ficção científica, com drama e suspense, que também atua no filme. Além disso, o filme comete a proeza de ressuscitar Patrick Swayze!, que interpreta um guru de auto-ajuda.

Não bastasse tudo isto, o filme conta ainda com algumas preciosidades na trilha sonora: Echo & the bunnymen ("The Killing Moon"), Tears for Fears ("Head over heels"), Duran Duran ("Notorious"), Joy Division ("Love will tear us apart"), The Church ("Under the milk way"), além do sensacional cover de "Mad World", do Tears for Fears, por Gary Jules. Um número bastante razoável de motivos para assistir ao filme, não? O orçamento para a realização foi de filme independente [US$4 milhões] e mesmo assim, reúne algumas cenas e efeitos fantásticos. Assim que o assistir, maiores detalhes aqui.