21 abril 2004

Final de festa

As velhas me olhavam com tamanha intensidade, que eu achava profundamente desnecessária a sua atitude de enfatizá-la através de chupadas nas garrafas de long-neck. A simulação óbvia de sexo oral, ao contrário de me excitar como conviria a um macho de grande estirpe, acaba por me enojar. Não pela demonstração em si, confesso que repleta de um misânscene quase teatral, uma oscilação erótica entre os filmes mais tôscos de emissoras abertas em final de noite e a natural tentativa de sedução de prostitutas em ruas escuras. O que acabava por estragar todo o teatrinho a que elas se propunham era mesmo a boca que envolvia o gargalo da garrafa. Eu disse que eram velhas? Então, imagina a boca enrugada. Isto era o mais visível: o que envolvia a garrafa, chupada. A garrafa. De resto, todo o corpo que sustentava a cabeça, que continha a boca. Que chupava. A garrafa. O corpo não ajudava. Nenhum pouco.

Envolvidas em calças de lycra, com bustiês que não conseguiam esconder - e, creio, seu objetivo era realmente mostrar. O quê não sei, pois não havia nada de bom para ser visto... - suas camadas de pneus que desabavam e balançavam pesadamente ao som dos bate-estacas, as coroas, ainda assim, com todos os adendos aqui descritos, pareciam encontrar-se em perfeito estado de êxtase. Uma êxtase demonstrada claramente não somente através das chupadas estrategica e supostamente eróticas, mas também nas suas descompassadas danças de acasalamento que traçavam ao redor do infeliz escolhido como vítima de suas conquistas.

No momento em que me cercaram, consegui escapar através de um semi-giro cheio de suingue e, discretamente, com um moonwalk, me retirei para uma região de maior segurança. Elas esboçaram reação, sugeriram ir até a minha direção, mas foram interceptadas na sua chama do desejo por um sujeito com uma cabeça enorme que lhes pareceu mais apetitoso do que eu no momento. Dei graças a deus pela normalidade do tamanho da minha cabeça e fui ao encontro da minha amiga me perguntando como, por deus, deixam uma fauna assim tomar conta do ambiente.