13 agosto 2007

Autopromoção

(...)São mais perguntas do que respostas. Mas o que me parece, ao final, é que o fato de sermos um país com um índice de leitura tão baixo, de uma cultura literária tão parca, inibe os autores a investirem em gêneros que muitas vezes são subestimados como "escapistas", tão somente. Daí a necessidade quase inconsciente de nos quedarmos ao hiper-realismo através do qual, e sem alegorias, pretendemos espelhar o nosso horror cotidiano.

Estas e outras declarações extremamente indispensáveis para se pensar a cultura literária estão disponíveis no Portal Literal, onde falei sobre a Fósforo, Ficção de Polpa e outros acepipes do gênero.