22 agosto 2007

Comédia

Ultimamente, um dos melhores programas de comédia da televisão brasileira é a novela "das oito", da Vênus Platinada. Me dá frouxos de riso, como diria minha avó. No "episódio" de ontem, durante um informalíssimo jantar de uma festa de casamento que não se realizou, os personagens - todos pertencentes à classe média alta, alguns altos funcionários da portentoso corporação Grupo Cavalcanti (do qual o peludo Tony Ramos é o mestre-mor) - sem ter mais sobre o que comentar, começaram a enunciar todas as facilidades de doação para o Criança Esperança, as peculiaridades diversas que garantiam ser este um projeto dos mais idôneos. Isto entre uma série de outras facilidades tão bem perfiladas por um talentoso roteirista.

Com uma naturalidade que faria o Tom Berenger parecer um ator sensacional, um ator barbudo caolho, de quem nunca lembro o nome - mas que recordo ter feito incursões mil pela comédia e que é um dos executivos bonzinhos da dita corporação - parecia o mais entusiasmado em comentar com duas atentas moçoilas todos os benefícios do projeto. Coisa fina, do tipo "Vocês sabiam que as doações feitas pelo telefone são depositadas imediatamente na conta da (e aqui me falta o nome da entidade...)?"