01 novembro 2008

Tim Maia 1976

Depois de muito tempo de buscas infrutíferas, finalmente consegui encontrar Tim Maia 1976, uma preciosidade deste mestre da black music brazuca. Considerado como um retorno de Tim, depois das maluquices incríveis e produtoras de funks sensacionais que foi a fase Racional, o álbum traz alguns de seus sons mais reverenciados pelos apreciadores da funk music nacional. Estão presentes aqui pra mim os dois ápices da funkeria: rápidas, suingadas ao extremo e com uma pegada fortíssima, Marcio Leonardo e Telmo e Batata-Frita, o Ladrão de Bicicletas. Não bastasse, o disco ainda abre com Dance enquanto é tempo, seguida pela romântica É preciso Amar. São exemplos de como fazer grooveria certeira. Na seqüência vem Rodésia, uma espécie de lado B de Guiné Bissau, Moçambique e Angola, do Racional Vol. II. Levada daquele jeito, com Tim Maia exercendo seus dotes de flautista.

São onze faixas no capricho, com Tim Maia trazendo toda a verve funkeira de que abusou em sua fase Racional. Brother é exemplo máximo disto. Definitivamente, disco pra reverência. Toda a glória agora e sempre para Marcel Cruz, dono desta maravilha chamada SacundinBenblog, onde se encontra um catatau de preciosidades, incluindo todos os dicos de Tim Maia de 70 a 76, ou seja, a fase áurea do véio síndico.