09 janeiro 2013

Sinapses #01


MAINSTREAM
Frédéric Martel
[Civilização Brasileira, 490 pgs.]

Por que os cinemas multiplex de shoppings centers tornaram-se o símbolo da excelência cinematográfica? Por que os filmes indies são, hoje, somente uma categoria estética? Como as novelas da Rede Globo conquistaram o mundo? Bollywood ameaçará a hegemonia do cinema americano? Qual a fórmula do sucesso das franquias da Disney, que estendem-se para espetáculos na Broadway, parques de atrações, show em cruzeiros e milhares de produtos? Fruto de uma pesquisa de cinco anos, que incluiu viagens a 30 países dos cinco continentes e mais de 1.200 entrevistas, o doutor em sociologia, pesquisador, jornalista, professor e apresentador Frédéric Martel investiga a batalha de conteúdo no mundo, não deixando de fora os mercados da música e do livro, uma indústria colossal eternamente preocupada em lançar o próximo blockbuster.



O PERSEGUIDOR
Julio Cortázar (ilustrações de José Muñoz)
[Cosac Naify, 96 pgs.]

O perseguidor” é, provavelmente, o conto mais importante deste que é um dos maiores contistas da história da literatura. Publicado originalmente em 1959, no livro As armas secretas (publicado no Brasil pela José Olympio Editora),  a história descreve os últimos dias de Johnny Carter, virtuoso saxofonista cuja decadência conhecemos entremeada por sua obsessão com o tempo. Homenagem ao genial Charlie Parker, o conto foi considerado pelo próprio Julio Cortázar como um divisor de águas em sua carreira, quando o personagem deixa de ser um “joguete a serviço do fantástico e passa a ser o centro da narrativa”. Esta linda edição da Cosac Naify chega ilustrada pelo desenhista argentino José Muñoz. Ótima porta de entrada para quem não conhece a obra do autor mais conhecido por O Jogo da Amarelinha, e indispensável para os fãs.